Duas obras da Coletânea sobre Alagoinhas são entregues no Natal Literário


Na noite da última segunda-feira (18), aconteceu o Natal Literário, promovido pela Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo (SECET), no Memorial Conselheiro Rui Barbosa, localizado na praça homônima. Na ocasião, foram entregues duas obras de uma coletânea composta por 7 volumes sobre a cidade de Alagoinhas, coordenada pelo Prof. Dr. José Jorge Damasceno. Os livros serão distribuídos gratuitamente em escolas, universidades, bibliotecas e instituições culturais.

Os dois primeiros títulos foram ‘Comunidades quilombolas: o reconhecimento e a auto identificação frente ao processo de globalização e massificação cultural’, de Gilvan Barbosa da Silva (falecido em decorrência da covid-19) e ‘Comemorações e adesões do golpe cívico-militar de 1964 em Alagoinhas’, da pesquisadora Elisangela Alves Almeida.

“Meu objetivo foi trazer a participação contundente de Alagoinhas na ditadura, adentrando, inclusive, o cenário nacional. O município chegou a ser citado em jornais do Rio de Janeiro, com o chamado Grito de Alagoinhas, que foi o discurso de Castelo Branco, aqui na cidade, contra a linha dura do Exército”, declarou a autora, que disse ter investigado as fontes na Biblioteca Pública da Bahia, na Fundação Iraci Gama e na Câmara Municipal.

Valdelice Barbosa, irmã de Gildo, foi quem o representou. Segundo ela, o livro é resultado de sua dissertação de mestrado em História da África. “Ele trabalhava com as comunidades Quilombolas, principalmente Catuzinho”, destacou, agradecendo a SECET pela publicação e afirmando que “Gildo lutou pela educação do povo, pela escola pública e para todos”.

O prefeito Joaquim Neto e a deputada estadual Ludmilla Fiscina prestigiaram o momento, assim como o vereador Anderson Baqueiro, ao lado da Secretária da pasta Iraci Gama.

“Nós estamos vivendo um dia especial em Alagoinhas, porque estamos tendo a oportunidade de trazer para a Praça Conselheiro Rui Barbosa, uma atividade cultural específica da área de literatura, que carece muito de atenção, embora a gente não se canse de batalhar por mais investimentos nesse segmento. Então, atendendo ao pedido de diferentes autores de nossa terra, pesquisadores preocupados com a história da nossa cidade, a gente vai apresentar os primeiros resultados da produção desses estudiosos, dos quais nos orgulhamos muito”, declarou a professora Iraci, que reiterou o quão importante é, para os munícipes, “conhecerem sua origem, uma vez que somente sabendo de onde nós viemos, é que podemos nos posicionar no presente e definir a caminhada que queremos traçar para o nosso futuro”.

A coletânea tem o selo da EDUFBA, editora da Universidade Federal da Bahia, e já nasce como uma publicação de respaldo. Essa façanha se deu graças ao intermédio do Prof. Dr. José Jorge Damasceno, que fez a ponte entre a SECET, a EDUFBA e os autores. “Eu achei que publicando essas obras pela EDUFBA, a gente teria um respeito maior. Além disso, auxiliaria os autores a pontuarem mais no Currículo Lattes”, informou o Prof. Dr., ressaltando que os livros irão “dar a conhecer à população, aos estudantes e aos professores, uma boa parte da história de Alagoinhas. Não toda a história, evidentemente, porque muito ainda tem que se fazer, mas uma parte significativa”.

A Secretária Iraci agradeceu o empenho do Prof. Dr. Jorge Damasceno, “que vem fazendo esse trabalho de coordenação com uma disposição que impressiona a todos nós”, ao ilustrador Edcarlos, pela criação da capa do livro, e ao ex-vereador Luciano Sérgio, “que atendeu ao pedido da Secretaria, apresentando uma Emenda Coletiva para esse trabalho”.

Fotos: SECOM